04/02/07

Falar Claro - VII

De formação.

Foi noticiado que estão a ser investigadas "influências ao voto em várias escolas" do País.
Concretamente, os ministérios da Educação e da Segurança Social estariam já em campo para apurar "indícios de tentativas de influenciar as crianças e as suas famílias".

Rezava assim a notícia : "A DREL informa que existem indícios de tentativas de influenciar as crianças e as suas famílias a votar contra o aborto em várias escolas, à semelhança do que aconteceu em quatro infantários de Setúbal".

Ou seja: "quatro infantários em Setúbal", "várias escolas no distrito de Lisboa",... "anda aí uma campanha ilegal dos opositores ao aborto, a deformar a cabeça de jovens e pais usando os meios do Estado e o veículo intocável da Educação dos nossos filhos para atingir sem escrúpulos os seus fins!".

É esta a leitura que se faz. (É esta a leitura que se pretende?...)

Só que carece de acrescento esta "denúncia" pelos media. Este "serviço público" prestado aos portugueses.

É que se for mesmo unânime a reprovação e o nojo de agir por aí para por aí recolher proventos, convirá ser mais escrupuloso e exaustivo na divulgação e "denúncia" de factos deste teor.

É que se alguém pretender o nome de uma escola que também está sob alçada administrativa da DREL, em que, à vista despudorada de todos, autocolantes com os dizeres "Voto Sim" ornamentam postes, paredes, portas de salas de pavilhões, sem serem banidos nem sequer enjeitados, poderei facilmente facultá-lo.

...Dir-me-ão "Ah, e tal, então porque é que não está a ser investigada?"

Não sei.
Será certo que a DREL não tenha também por esta altura informação necessária sobre a proeza?...

Se não é notícia, adivinho-lhe a causa: deformação.

2 comentários:

papidamati disse...

Ehh Pá ...!
Que horas são?
3 ..?!?!
Então não vai dar!
Um abraço!
Chega-lhes que eles merecem! ;-)

fernanda disse...

olá
aqui à escola chegaram ontem. no comments...