23/02/07

Num mundo sem PC... II

Ha!..., bons tempos.

Em que a inconsciente da Beatriz Costa cantava de rabo alçado à beira da água na Aldeia da Roupa Branca: "Ó rio não te queixes, / Ai o sabão não mata, / Ai até lava os peixes, / Ai põe-nos cor de prata" e impunemente fazia a barrela à peixeirada.
...Tinha sorte de não levar com o Greenpeace a chagar-lhe a mioleira com a preservação da Natureza.
Mas na volta até tinha razão, era capaz de fazer menos mal à peixeirada engolir um pirolito de sabonária que engolir hoje litradas de descargas de suiniculturas e passar a nadar de costas.

Bons tempos, os do Restaurador Olex.
Em que apesar da xenofobia horríííível de falar de "um preto de cabeleira loira e um branco de carapinha", a mocidade era incentivada a usar "aquilo com que nasceu".
Bons tempos, sem anorexias doidas, bulimias galopantes, corridas em manada (não só da mocidade!) para "clínicas de estética", para cortar, esticar, repuxar, acertar, paralisar, acrescentar, alisar, encher, etc., num circo de horrores interminável, contrário ao que o Olex dizia que... "é natural e fica bem".

Bons tempos... os das bigodaças à iraquiana.

2 comentários:

AFD disse...

Pedro,

No mundo sem PC não existia... http://secondlife.com/whatis/

AFD

abelha maia disse...

adorei...
eu ainda sou do tempo deste anúncio...eheheh
;)