12/11/06

Universos paralelos

Para orgulho nacional, teve lugar no nosso País a reunião periódica do globalismo comunista, no Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários.

Em Lisboa, estiveram presentes 70 delegações de países, que reflectiram sobre o estado do mundo actual, deram conta aos parceiros das suas lutas proletárias (?) locais e - porque estas coisas são mesmo assim - aproveitaram para ter algum tempo de antena.

(Gosta quem gosta. Interessa a quem interessa.)

A festa só terá sido entristecida por duas ausências de vulto: a do Partido Comunista da Coreia do Norte e a das FARC colombianas - cuja presença prevista acabou por não acontecer.

Sobre a Coreia do Norte, não tenho muito a dizer para além do que é o senso-comum.
(Aliás, terei é menos a dizer do que muita gente.)
Sobre as FARC é que... vamos mais devagar.

As FARC, "Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia", são um grupo guerrilheiro que luta há décadas pelo ensejo a uma sociedade colombiana conforme à sua visão política da realidade. A partir do seu acantonamento na densa selva sul-americana...

Mas cuidado!, quem tenda a inebriar-se com o aroma romântico das lutas libertárias de heróis revolucionários.
Porque quem diz "guerrilheiro", diz terrorista!
(E não sou eu que o digo. Se quiserem vão ler o que a União Europeia listou como organizações terroristas e verifiquem se as FARC lá estão, ou não...)

Quem diz "guerrilheiros", diz criminosos por grosso. Pilhadores. Raptores. Homicidas - genocidas aprendizes, de populações indígenas.
Narcotraficantes que - a par das organizações paramilitares direitistas pró-governo - se sustentam sem vergonha nem escrúpulos do rentável comércio da coca, partilhado por uma vasta matilha.

Ora, por isso se estranha que a abominável comitiva das FARC estivesse na lista de convivas da reunião de comunistas na capital portuguesa.
E que os senhores sejam reconhecidos e respeitados pelo "comunismo global".
E que o PCP ande em tão más e íntimas companhias...

É que (para quem não deu por isso...) as FARC estiveram representadas na última Festa do Avante!, no Seixal.
Lá se encontrava para distribuição a revista ‘Resistência’. E por isso o Estado português ainda teve de prestar contas
à diplomacia colombiana pela gracinha da propaganda pública em solo nacional ao grupo terrorista!

É demasiado para mim. Demasiado bizarro, para que eu perceba.

Que o comunismo persista hoje, talvez seja um capricho histórico. Mas legítimo.
Que uma certa ideologia de esquerda continue a mitificar narrativas-modelo e figuras sinistras (que um dia poderão aqui desfilar) como heróis românticos, pode ser um mero fetiche. Mas cada um endeusa o que quer.
Que a cegueira ideológica (de qualquer quadrante) force a percepção da realidade, o equilíbrio das propostas e a perspectiva de viabilidade de um futuro militante, pode ser uma excentricidade. Mas o que se pode fazer?...

...Não se pode é deixar de considerar que uma certa forma de pensar, de agir, de viver, se enquadram mais numa realidade alternativa, num universo paralelo paranóico-concebido, do que neste universo, nosso, quotidiano, falível mas palpável.

E assusta a influência filosófica que ainda exerce esta esquerda (tal como outras!), hoje, na "forma correcta de pensar", no "politicamente correcto" que nos envenena, compelindo-nos ao formalismo ético de um pensamento único, que nos afasta do rumo desejado por todos os democratas e cidadãos do futuro.

A ditadura de uma certa intelectualite de esquerda dominante? É isto.

2 comentários:

cantinho disse...

finalmente! desde 10...
óptimo documento, documentado...
e comentado. parece incrível que, com tanta volta e reviravolta, ainda tenhamos estas visitas curtas (felizmente!)aos museus dinossáuricos da nossa existência. e logo eu, que não tenho nada contra museus, exposições e, principalmente, sendo de dinossauros...

pedro_nunes_no_mundo disse...

Exacto.
Coitadinhos dos dinossauros. lol